junho 20, 2007

Iniciar é sempre dispor-se ao trágico




Um diário público. Eis aqui a realização de um desejo que todos temos: o de sermos reconhecidos pelo que temos de mais verdadeiro e humano. E, o diário serve a isso. Nele compartilhamos as nossas limitações e com elas revelamos também a nossa força. Eis aqui a minha intenção ao compartilhar essa "identidade coletiva". A intenção a que Tizetan Todorov já anunciava: a de que a vida é o reconhecimento social e que a configuração do que somos só se dá no embate com outros: os próximos e os distantes. Em que "ser e aparecer" coicidem (Arendt). Espero que esse seja um espaço flúido, capaz de absorver os movimentos próprios da vida e do conhecimento. Espero que possa encontrar aqui um local de fala e de interlocução; de idéias e de dúvidas. Eis que nos deparamos conosco, com o que temos de humano, demasiado.

7 comentários:

guilherme jorgui disse...

Seu blog é a sua cara professora! Suave, mas denso. Prometo sempre passar por aqui para dar umas espiadas. Talvez até me processe por plágio. Sou aquilo, que muito criativamente defino, como gigolô das palavras (Essa minha cara de pau) Ah! Quem vos fala é o Guilherme Gilliard, aquele que ficou te devendo o memorial. Mas eu vou te entregar !!!!!

Anônimo disse...

Ola querida amiga,quem vos fala é Lucivanio.seu Blog é maravilhoso.Sempre que puder irei acessá-lo.Saudacoes.Lucivanio

Isabelle Anchieta de Melo disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Isabelle Anchieta de Melo disse...

Guilherme,
quero o memorial e com foto!!! (estou brincando; não preciso deles para me lembrar de sua presença de espírito e de seus ótimos comentários em sala). Mas, falando sério, que bom que gostou, achei forte seu comentário. Ele foi importante para mim, me refiro, especialmente, ao momento em que caracteriza o blog de "suave e denso". Obrigado por essa clareza e por esses adjetivos - se me cabem fico, realmente, grata. Mas, quanto ao gigolô, não se questione tanto, hoje a idéia de "intertextualidade" resolve esse problema para nossa consciência. Somos, mesmo, resultado do que amamos (textos, pessoas, sonhos, e tudo mais). O que nos induz a pensar que quanto mais nos cercarmos de bons livros, companhias e experiências melhores seremos.

Grande abraço e saudades

E, caro amigo Lúcio (meu filósofo brasileiro preferido), fico lisonjeada com a visita, espero que realmente venha mais,

Abraço,

Anônimo disse...

Olá Belle,aqui é a Vanessa sua ex-aluna de Jornalismo da FADOM.Quero lhe dar os parabéns,seu blog é a sua cara,ético,profissional e recheado de informações;assim cmo são suas aulas!!!Fico feliz por essa iniciativa,pois cm esse blog podemos nos falar e saber cmo anda sua carreira!!Sou sua fã número 0 e torço muito por vc,vc merece tdo de bom. Estou morrendo de saudade....
Um gde beijo.

Isabelle Anchieta de Melo disse...

Oi Vanessinha,
obrigado pelo carinho de suas palavras. Como me faz falta essa atenção e a relação que construímos em Divinópolis. Uma relação sólida, forjada por uma crescimento mútuo e amoroso. Hoje, por um acaso, estava em Divi. Toda vez que retorno é como retornar ao melhor de mim, do que sou e posso dar. Reencontrei muitos alunos hoje
_alguns da sua turma _ pena não te ver. Está em Divi? Mas, o legal disso é que cada abraço, cada reconhecimento é uma espécie de espelho em que posso ver o que tenho de melhor se refletir. Isso me dá força para passar por coisas difíceis que também estão no nosso caminho e por pessoas que insistem em nos ferir (vc sabe do que estou falando e em parte essa foi a razão de minha ida em Divi). Não
imagina a ternura que suas palavras me causam. Também estou com saudade e que bom que nos reencontramos aqui.

Grande beijo,

Tamara Souza Campos disse...

Oi professora. Fazia tempo que estava prometendo entrar no seu blog. Vc como sempre "exalando competência". Ainda lembro de seus comentários sobre o programa especial de Guimarães Rosa. Ficou realmente maravilhoso. Como está? Há muito tempo que não a vejo. Não está mais dando aula pro turno da noite na Newton? Saudades... Beijos