junho 27, 2007

Hoje eu vou cantar um samba sobre o infinito

Foto: Pedro David


Infinito. Há nele uma grandeza de imprecisão. De natureza imaterial, o infinito nos encanta pela incompletude, pelo inacabado e pelo que promete sem nos dar. Para Guimarães Rosa (que hoje faz aniversário, completaria 99 anos) seria esse atravessar o sentido da vida, que não se justifica nem pela saída nem pela chegada, mas pela travessia. Para F.Nietzsche a vida seria uma ponte entre o animal e o além do homem. Para Freud o desejo (esse que não pode ser saciado). O incompleto, o insatisfeito justifica o movimento contínuo da busca, da ação, do entusiasmo. Ao invés da angústia de nunca ter, a falta é o que produz a beleza, a força da luta. E, que luta!! Mas, o que seríamos sem ela, se na verdade é esse espírito aguerrido que justifica grande parte do que nos dignifica e nos fortalece (as mais significativas histórias são repletas de grandes e bons combates, que o diga Júlio César, como lembraria meu querido Caporali). Porque, no fundo, "o que não mata fortalece" (F.N, ECCH)
O infinito renova-se, renasce, brota de si. Multiplica-se até que nosso olhar se perca e não o alcance mais. Só um samba conseguiria cantar o infinito, com uma letra triste e ao mesmo tempo alegre. Em uma contradição não contraditória. Só quem sofreu de verdade sabe entender o samba. Já ouço tocar meu favorito:
(Wilson Moreira e Nei Lopes)

"Abre as asas sobre mim, Oh! Senhora liberdade. Eu fui condenado/ sem merecimento/ por um sentimento/ por uma paixão/Violenta emoção/ Pois amar foi meu delito/ Mas, foi um sonho tão bonito que chegou ao fim/ Senhora liberdade abre as asas sobre mim/Não vou passar por inocente/ Mas, já sofri terrivelmente/ Por caridade/oh liberdade/ Abre as asas sobre mim"

Voltemos ao infinito, ou melhor, nunca saímos dele - em seu eterno retorno, no constante empurrar a pedra ao pé da montanha e empurrá-la novamente, buscando nessa banalidade a revelação que vem do absurdo (Camus).
E, por fim, ou pelo início
, eu pediria para tocar:

"Deixe-me ir, preciso andar/Vou por aí a procurar/Rir pra não chorar/ Quero assistir ao sol nascer/Ver as águas dos rios correr/Ouvir os pássaros cantar/Eu quero nascer, quero viver/Deixe-me ir preciso andar/Vou por aí a procurar/Rir pra não chorar/Se alguém por mim perguntar/Diga que eu só vou voltar/Quando eu me encontrar"
Candeia*
* o samba é creditado, geralmente, a Cartola (eu mesmo o fiz no blog). Graças a participação de um aluno, Renato Vieria, descobri que o samba é de Candeia. Além dessa informação, há outras curiosidades, como o fato de que "Candeia, além de sambista, era um policial lendário nos morros do Rio, mas acabou levando um tiro na espinha e ficou paraplégico, isso ainda nos anos 60. Porém, graças a Clarinha Nunes, ele conseguiu ter um certo sucesso e gravar 2 Lps. Mesmo assim, nunca ganhou dinheiro com música e acabou morrendo pobre no fim dos anos 70" segundo Renato.

6 comentários:

Fabíola Paiva disse...

Isabelle!
Gostei mto do seu blog!
Pode ter certeza que virei aqui sempre!
Muitaa saudade de vc... me manda um email dando noticias depois ok?
Beijoo

Fabíola Paiva

Reginaldo Faria disse...

Oi Isabelle...
Como sempre, uma mulher à frente de seu tempo!
Parabéns pelo seu blog. Estou muito feliz por você ter encontrado o caminho certo. Sem dúvida, uma grande mestra... Não apenas uma pessoa dotada "de conteúdo na área", mas alguém com desejos, opinião forte e disposta a compartilhar toda essa sabedoria... Assim como você foi essencial em uma das etapas mais importantes da minha vida, esteja certa de que muitos irão aprender com você...
Continue sendo esta pessoa decidida, sincera e amiga. Muitos ainda precisam de você!
Vou aproveitar a oportunidade do "post" para uma pequena informação... Não estou morando em Divinópolis. Encontrei meu caminho na área de comunicação e marketing... Também tenho um endereço na Net ( http://opiniaonarede.blogspot.com/ ), mas o blog está desatualizado. Estou sem tempo para pensar, escrever e postar, mas quero voltar a fazer isso no próximo mês.
Abraços do ex-aluno e amigo,
Reginaldo Faria


Tbm estou com um endereço na rede ( http://opiniaonarede.blogspot.com/ ), mas estou sem tempo para postar. Quero

Reginaldo Faria disse...

Oi Isabelle...
Como sempre, uma mulher à frente de seu tempo!
Parabéns pelo seu blog. Estou muito feliz por você ter encontrado o caminho certo. Sem dúvida, uma grande mestra... Não apenas uma pessoa dotada "de conteúdo na área", mas alguém com desejos, opinião forte e disposta a compartilhar toda essa sabedoria... Assim como você foi essencial em uma das etapas mais importantes da minha vida, esteja certa de que muitos irão aprender com você...
Continue sendo esta pessoa decidida, sincera e amiga. Muitos ainda precisam de você!
Vou aproveitar a oportunidade do "post" para uma pequena informação... Não estou morando em Divinópolis. Encontrei meu caminho na área de comunicação e marketing... Também tenho um endereço na Net ( http://opiniaonarede.blogspot.com/ ), mas o blog está desatualizado. Estou sem tempo para pensar, escrever e postar, mas quero voltar a fazer isso no próximo mês.
Abraços do ex-aluno e amigo,
Reginaldo Faria


Tbm estou com um endereço na rede ( http://opiniaonarede.blogspot.com/ ), mas estou sem tempo para postar. Quero

geisamara disse...

Isabelle,

Lindo tratar sobre o infinito. Concordo com todas as letras quando você diz que somente um samba conseguiria cantar o infinito. O samba expressa sentimentos profundos e contrários, como se fosse de um extremo ao outro, como se falasse da alegria de uma forma triste, ou da tristeza de uma forma alegre, iluminada. Como já disse o poeta "o bom samba é uma forma de oração". Quando penso nessa questão "o que é oração", entendo que é uma busca de um estado pleno, de algo que está no infinito; se de olhos fechados, entramos no infinito de nosso universo particular. Um particular que é uma parte de um todo universo infinito que buscamos eternamente sem na verdade nunca termos saído dele.

Beijos,

Geisa Mara

Isabelle Anchieta de Melo disse...

Querida Geisa,

realmente a oração aproxima-se da música, possui mesmo o ritmo e a vibração que só uma canção seria capaz de produzir. E, mais que a música: o samba. Pois, o samba é a forma alegre, mesmo que o conteúdo seja triste. Eis a grande sabedoria da vida: ter a forma alegre mesmo diante das adversidades...Lembrou-me agora, por seu comentário, a imagem e a simbologia do que representa o Sagrado Coração de Maria (mesmo diante dos espinhos preserva-se a forma, a pureza que vem do seu oposto)

Beijo e saudade sua

Mariana Menezes disse...

Isabelle,

muito bom ter notícias suas. Melhor ainda por se tratarem de notícias tão boas. Parabéns pelo prêmio e pela bela carreira!

Um abraço muito carinhoso da sua ex-aluna de Divinópolis.