outubro 11, 2016

Pela ordem (ou desordem)?



Isabelle Anchieta*
‘A burrice é infinita’, mas nossa paciência não. O País precisa amadurecer o debate político dentro e fora do Congresso. Faltam regras, respeito mútuo, ideias e sobram ataques pessoais. E o pior: há um quê teatral e grotesco no ar. Mais do que um debate genuíno, trata-se um jogo de cena ególatra – blindado pelo abuso da imunidade parlamentar. Se, de fato, terão a coragem de fazer um documentário do processo do impeachment no Senado, ele deve ser catalogado como um filme trash. Uma simulação de indignação mal encoberta movida por razões nada republicanas….Curiosamente, os mais corruptos são os que mais usam o microfone, os que mais pedem ‘pela ordem’ e, ironicamente, são os promotores da desordem. Encenam uma guerra de narrativas, querem confundir e aparecer na telinha. O Brasil? Os brasileiros? Meros espectadores dessa narrativa de mal gosto.

Nenhum comentário: