junho 17, 2016

Atentado em Orlando levanta 3 importantes questões


 O país que se orgulha da vanguarda em direitos humanos é o mesmo que autoriza que seus cidadãos portem armas e definam quem merece viver ou não. Esse “outro” em geral é negro, homossexual e imigrante. (...)
(...)
Mais do que medidas legais me parece que o tema perpassa a cultura da violência que paradoxalmente está enraizada no país que se diz símboloda liberdade. A segregação não só de homossexuais, mas de imigrantes e negros é fato escandaloso e em descompasso com a ideia de igualdade e liberdade que fizeram, da constituição republicana do país, um marco para todas as revoluções democráticas que se seguiram a 1787.
(...)
Uma cultura, diga-se de passagem, exportada como referência para todo o mundo. Aquela que torna a arma um item simbólico comum? Será preciso mais do que leis para repensar o lugar da violência na vida americana. É preciso romper o tabu. É preciso desmascarar as contradições e definir afinal de que lado os americanos estão: do lado dos direitos humanos, da liberdade ou da cultura da violência e do preconceito? Não é possível estar dos dois lados ao mesmo tempo. Essa hipocrisia não pode mais ser levada adiante. 

LINK 

http://brasil.estadao.com.br/blogs/tudo-em-debate/atentado-em-orlando-levanta-tres-importantes-questoes/


Nenhum comentário: